PROJETO 

Análise de pele de tilápia do Nilo como curativo oclusivo para queimaduras de segundo grau

SAU02

a-linha-perfeita.png

Ciências da Saúde

Autoria:

Lia Smejoff

VEJA O PÔSTER

Orientação:

Luiz Henrique da Silva Nali

Instituição: 

Escola Alef Peretz. São Paulo/SP

CATEGORIAS

a-linha-perfeita.png

RESUMO

Este trabalho consiste em um levantamento teórico sobre o uso da pele de tilápia como opção de curativo oclusivo para queimaduras de segundo grau. As queimaduras são feridas traumáticas causadas, na maioria das vezes, por agentes térmicos, químicos, elétricos ou radioativos, que acabam resultando na destruição parcial ou total da pele, podendo atingir camadas mais profundas da pele ou até embaixo dela. As queimaduras são classificadas de acordo com a sua profundidade, tamanho e o agente causador dela. Entre tais classificações, o trabalho aprofundou as queimaduras de segundo e terceiro grau, que são queimaduras mais sérias e com opções de tratamento mais amplas e focalizadas. Tendo em vista algumas opções de tratamento ou procedimentos, como a fasciotomia, desbridamento, escarotomia, fasciotomia, enxerto, etc. Foi feita uma tentativa de análise comparativa entre possíveis tratamentos inovadores e pouco estudados, sendo a bioimpressão de pele 3D, que permite a formação de um microambiente complexo e a reprodução da estrutura e organização original da pele para queimaduras de terceiro grau e o uso da pele de tilápia com tratamento oclusivo para queimaduras de segundo grau. Durante o estudo, percebeu-se que a bioimpressão de pele e o uso da pele de tilápia como curativo oclusivo no tratamento de queimaduras, não são totalmente comparáveis, pelo fato da bioimpressão de pele ser uma opção exclusiva de tratamento de queimaduras de terceiro grau, enquanto o uso da pele de tilápia, é exclusivo de queimaduras de segundo grau, não podendo ter uma base comum de comparação. Sendo assim, foi delimitado como tema do trabalho o uso da pele de tilápia do Nilo como tratamento de queimaduras de segundo grau profundo e superficial, por ser uma opção com mais embasamento e fontes de pesquisa. De acordo com o que foi estudado,
concluiu-se que a pele de tilápia apresenta boa qualidade no leito das feridas induzidas
por queimaduras e promove recuperação tecidual.

Palavras-chaveQueimaduras; Pele de tilápia do Nilo; Bioimpressora de pele 3D; Tratamento.

thumbnail_IMG_6266.jpg