PROJETO 

Levantamento e Análise de Dados da concentração de AOD (Espessura Óptica dos Aerossóis) na cidade de Registro-SP nos últimos 5 anos, através de sensoriamento remoto pelos satelítes da Nasa, Acqua e Terra.

EXA06 

a-linha-perfeita.png

Ciências Exatas e da Terra

Autoria:

Vanessa Leandro de Freitas

VEJA O PÔSTER

Orientação:

Gregori de Arruda Moreira

Instituição: 

Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de São Paulo - Registro/SP

CATEGORIAS

a-linha-perfeita.png

RESUMO

Aerossóis, temperatura local e distribuição de precipitação desempenham um papel importante no balanço radiativo da superfície. Esses parâmetros estão interligados e ajudam a entender melhor sobre o aquecimento das camadas atmosféricas e, como pode ser impactada a microfísica de nuvens em um local específico. Registro é a capital do Vale do Ribeira, uma região de preservação natural da Mata Atlântica. A Mata Atlântica tem menos de 16,3 de sua área total no estado de São Paulo, perdida após a colonização portuguesa no Brasil.
A análise da AOD (Aerosssol Optical Depth – Espessura Óptica dos Aerossóis) auxilia no estudo para manutenção da biosfesra desta região, pois interfere diretamente na qualidade do ar. O objetivo principal deste trabalho é avaliar a AOD nos comprimentos de onda: 388nm e 500nm, nos últimos 5 anos, na cidade de Registro-SP. Os dados foram obtidos por meio da plataforma, GIOVANNI, da NASA, a qual contém dados captados por meio dos sensores MODIS dos satélites Acqua e Terra. Os dados foram trabalhados em linguagem de programação Python, tanto para obtenção dos mesmos, quanto para outras análises estatísticas. Os dados obtidos dos últimos cinco anos, mostram que os valores de AOD para 388nm, possuem um aumento de concentração no decorrer dos meses desses últimos cinco anos. A grande preocupação é devida a estas partículas caracterizarem-se como cancerígenas para a população (Ex: MP 2.5 , o qual se origina da queima de biomassa). Os meses com maiores concentrações, são Agosto, Setembro, Janeiro e Fevereiro, e como são de 6 em 6 meses, provavelmente esteja ligado a queimadas locais ou a atividades oriundas de outros pontos do Estado e da região centro-oeste do país e, depositam-se no Vale devido ao relevo. No futuro, a intenção é obter mais dados, para correlacionar adequadamente, os parâmetros de AOD, temperatura e precipitação e entender se há influência humana por meio de desmatamentos, queimados no processo agrícola, que estão interferindo no clima local.


Palavras-chave: AOD; Registro-SP; Vale do Ribeira; Acqua e Terra; Sensoriamento Remoto.

Captura de Tela 2021-10-13 às 02.58.11.png